Obra de Tânia Bailão Lopes está no Museu Internacional de Arte Contemporânea de São Gonçalo do Rio Abaixo, Minas Gerais – Brasil

É uma grande honra estar representada neste museu, com a obra Agridoce.
Nos dias em que o pensamento sucumbe a lugares sombrios, surgem estas pequenas conquistas para motivar este ser malogrado.
Diz-se que uma grande caminhada faz-se caminhando.
Importa não parar. Não ceder à violência do vento…
Museu Internacional de Arte Contemporânea de São Gonçalo do Rio Abaixo
Patronos: Antonio Gualda e Deia Leal
Centro Cultural de São Gonçalo do Rio Abaixo – MG


No dia 26 de janeiro de 2012, às 18 horas, o município de São Gonçalo do Rio Abaixo, no Estado de Minas Gerais, Brasil, inaugurou o seu Museu Internacional de Arte Contemporânea. Os Patronos do Museu são os artistas Antonio Gualda e Deia Leal. Antonio Gualda é espanhol (artista plástico, compositor sinfônico e escritor), e o responsável pela doação do acervo de 65 obras premiadas em concursos internacionais de Artes Plásticas da Asociación Cultural Valentín Ruiz Aznar, de Granada, Espanha. Deia Leal estabeleceu o contato entre Antonio Gualda e as autoridades constituídas de São Gonçalo do Rio Abaixo e assessorou os representantes do município nos trâmites documentais, termos de doação de obras com os artistas, termos de compromissos entre as partes, documentação alfandegária e curadoria do acervo.
A Exposição Internacional de Arte Contemporânea de São Gonçalo do Rio Abaixo foi isntalada no Centro Cultural da cidade e mostra parte do rico acervo constituído pelo Museu. Nesta primeira exposição, foi exposta apenas uma obra de cada artista.
Artistas participantes:
Internacionais: Edith Beatriz Lozano, Gladys Torres, Silvia Lissa, Jesús Mora Nóguez, Raymond Furlotte, Antonio Pérez Cares, Yánet Antonia Bustamante Palma, Marcelino González Porras, Enriqueta Hueso Martínez, Antonio Gualda, Faustino Velasco Municio, María Jesús C. Rodríguez, María Carmen L. Melgar, Paloma Soler-Espiauba Conesa, Carlos Puente Jiménez, Juan-Carlos Julián Cebrián, Pilar Segura Badía, Raquel Concepción Zurro Carro, Faba, Bouchra Jelloul, Jean Patrick Joël Tronca, Michel Charles Aucoin, Beata Zoltai, Claudia Scaffidi, Giuseppina Gravina, María Franca Grisolía, María Teresa di Nardo, Enza Clapis, Diana Franco, Diana Mirella Estrada, Francisca Magaña Carrillo, Héctor Cándido C. Maciel, María Hortensia Blanco de Crespo, Víctor Gabriel Ayala Rodríguez, Erick Ulises Andía Pomar, Jéssica Celmi Coral, Helena Maria Galvão Amaral, Tânia de Jesus Bailão Lopes, Florbela Moreira, Tatiana Galatch, Dilek Bilhan, Zeynep Boynukalin, Julia Elena Pérez Veiras, Sebastián Correa Dómine.
Brasileiros: Camaleão, Camilo Leal, Deia Leal, DonLeal, Elias Layon, Flávio Porto e Maria Terezinha de Lima.Autoridades presentes na solenidade:
Raimundo Nonato Barcelos, Prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo; João Israel, Prefeito de Itabira; João Cunha, Prefeito de Serpa – Portugal; Júlia Paula Costa, Prefeita de Caminhs – Portugal; João Victor Dias, Assessor de Patrimônio Histórico de São Gonçalo do Rio Abaixo;Miriam Bloski, Secretária de Cultura de São Gonçalo do Rio Abaixo, Goretti de Freitas, Presidente do Clube de Escritores de Ipatinga, e Cleydis Ricardo, coordenadora da ONG Consciência Jovem de Santa Bárbara.Curadores da Exposição: Deia Leal, Gabriel Bicalho, J. B. Donadon-Leal e J S Ferreira.

É Fedra! e La Noia di Vivere, óleos de Maria Franca Grisolía (Itália); L’Aquilone, aquarela de María Teresa Di Nardo (Itália);
Playa IV, mista de Carlos Puente Jiménez (Espanha); Oposición e Variedad, digitais de Antonio Pérez Cares (Chile);
El Ierno Abrazo, óleo de Héctor Cándido Correa Maciel (México); Identidad II, gravura de Silvia Noemí Lissa (Argentina);
Mexicoatl, gravura de Víctor Gabriel Ayala Rodríguez (México); L’Antre de L’Espirit, acrílica de Michel Charles Aucoin (França);
Burka 1, mista de Enriqueta Hueso Martínez (Espanha); La Evolución de los Seres Encontrando la Muerte, mista de Jesús Mora Nóguez (Canadá);
Muelle, Planos Grises I, óleo de Julia Elena Pérez Veiras (Uruguai); Amistad, mista de Antonio Pérez Cares (Chile);
Mermúrio da Borboleta, acrílica de Helena Maria Galvão Amaral (Portugal); The Times at the Bosphorus, óleo de Zeynep Boynukalin (Turqui);
Agridoce, acrílica de Tãnia de Jesus Bailão Lopes (Portugal); Eu tenho de ir, mista de Florbela da Conceição Marques Moreira (Portugal);
LLuvia ácida, acrílica de Juan, (México)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s